No âmbito da 68ª Assembleia Geral da ONU, o SCEAM, Simpósio das Conferências Episcopais da África, organiza de hoje 23 até ao próximo dia 25 do corrente, um Evento Especial para apresentar a alguns Chefes de Estado africanos um documento sobre os Objectivos do Milénio para o Desenvolvimento e o Pós-2015. Nele o SCEAM convida a pôr no centro das políticas de desenvolvimento os valores humanos, a fé, a moral e a dignidade da pessoa; enfim, uma política que tenha em conta a pessoa humana na sua integridade e que não deixe de lado os pobres e marginalizados. Em poucas palavras, o documento convida a adoptar um novo paradigma, uma nova visão de desenvolvimento para a África.
A iniciativa é levada a cabo pelo SCEAM em parceria com algumas entidades religiosas, como a Caritas Internationalis, a CIDSE (Aliança internacional de 17 organismos católicos de desenvolvimento) e tantos outros.
De entre os presidentes convidados para o evento estão Ellen Johnson-Sirleaf, Presidente da Libéria e Presidente do Comité de Alto Nível dos Chefes de Estado e de Governo sobre a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015; Jacob Zuma, da África do Sul,; John Mahama, do Gana, Hailemariam Desalegu, da Etiópia e a Presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma.
Os encontros – lê-se num comunicado do SCEAM – serão realizados com estes dirigentes separadamente, à medida que cada um estará disponível para o compromisso durante o referido período.
Para além do encontro com os Presidentes da África, a delegação terá um colóquio com Amina Mohammed, Conselheira Especial do Secretário Geral para o Planeamento do Desenvolvimento Pós-2015; com responsáveis da EU e com altos funcionários de alguns países da Europa.
A Delegação do SCEAM é chefiada por D. Gabriel Justice Anokye, arcebispo de Kumasi no Gana e vice-presidente deste organismo panafricano da Igreja católica. Está acompanhado pelo secretário geral do mesmo organismo P. Joseph Komakoma, e por Firmin Adjahoussou, Responsável do Programa “Boa Governação” que o SCEAM leva avante desde há vários anos.
Cada um dos organismos católicos parceiros neste evento terá o seu próprio representante – afirma ainda o comunicado.
Recorde-se que os Objectivos do Milénio para o Desenvolvimento foram fixados pela ONU no ano 2000 para melhorar as condições de vida das populações dos países mais pobres, e estipulam que até 2015 sejam atingidas algumas metas como a redução da pobreza, da fome, da desigualdade entre o homem e a mulher, do analfabetismo, de doenças como a malária, da mortalidade materno-infantil, etc. Ao todo oito objectivos. Mas embora se tenham registado progressos, em muitos países, nomeadamente da África, esses objectivos não serão atingidos. Por isso, já se fala em Pós-2015.

Deixe um comentario

Categories