Devemos preparar famílias estáveis, diz Dom Arlindo

Na sexta feira passada, 20 de Julho de 2012, teve início o I Fórum Diocesano da Família, sob o lema “Educação para o amor”. O Acto de abertura teve lugar no Salão Paroquial de Nossa Senhora da Graça, Praia e foi presidido pelo Bispo Dom Arlindo Furtado. O evento contou com a presença de centena de pessoas, de entre as quais, famílias, representantes das paróquias, padres, leigos, além do secretário executivo Nacional da Família, a Primeira-dama de Cabo Verde e outras personalidades da sociedade civil. Os 3 dias do Forum foram de troca de experiência e conhecimentos, de reflexão sobre temas diversos sobre a realidade e os desafios da família cristã hoje.

A actividade iniciou com cânticos de louvor, seguidos dos discursos das Boas vindas por parte do casal Coordenador do Secretariado Diocesano da Família, SDF, e do casal responsável pela Comunidade Emanuel, CE, em Cabo Verde, antecedendo assim, a apresentação do Bispo da Diocese de Santiago.

No seu discurso de abertura, Dom Arlindo Furtado fez uma abordagem sobre a situação da família em Cabo Verde hoje e o Projecto Pastoral, onde apresentou em traços largos a situação da família em Cabo Verde, um a sua história e a sua situação actual que considera “ser complexa e não desejável mas com a esperança de que no futuro possamos ter mais famílias realizadas, estáveis, que sejam uma referência, um estimulo para os jovens a constituírem a família no amor de Deus e com a ajuda e a graça que Jesus Cristo atribui a própria realidade familiar no sacramento do matrimónio”.

O I Fórum Diocesano da Família é uma iniciativa do Secretariado Diocesano da Família e tem o apoio incondicional do Bispo da Diocese de Santiago que tem dado uma atenção especial à família. Conta também com a colaboração da Comunidade Emmanuel, que se responsabiliza pelas sessões de formação. O SDF que tem desenvolvido, nos últimos tempos, várias acções em prol de uma família cristã mais saudável, traçou como objectivo “despertar as famílias e toda a sociedade civil cabo-verdiana para a necessidade de um “djunta mon” a fim de se debelar as causas dos problemas que afectam as famílias”.

“Esta é uma boa iniciativa do SDF, porque nós temos que alargar o âmbito da reflexão sobre a família envolvendo casais de todas as paróquias, para que em conjunto, unirmos as forças para que juntamente com as pistas que saírem desse fórum nos empenharmos a sério na implementação de uma pastoral dinâmica, envolvente, que se vai alargando cada vez mais para que possamos ter num futuro próximo, mais famílias estáveis, mais famílias felizes, capazes também de contribuir para que as outras que não puderam participar neste fórum também, possam usufruir de uma dinâmica nova, nos ajudem a viver a realidade familiar com autenticidade, no amor, estabilidade, entreajuda, na paz e é isso que nós pretendemos com esforço de todos e com a ajuda de Deus” , almeja Dom Arlindo Furtado.

A ideia foi juntar, neste Fórum, famílias de todas as paróquias da Diocese de Santiago para juntos reflectirem sobre a situação da família e encontrar formas para debelar os desafios que enfrentam as famílias hoje. No entanto, só puderam participar neste evento representantes de todas as paróquias das ilhas de Santiago e do Fogo. As famílias de Brava e Maio não puderam estar presentes porque na última hora, faltou transporte que faz a ligação entre essas ilhas e a cidade da Praia. Mas os que puderam vir prometem aproveitar o máximo o que se vai partilhar durante os três dias e transmiti-lo junto das paróquias que representam.

Bartolomeu Veiga, representante e membro da pastoral família da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, ilha do Fogo é um dos cerca de duzentas pessoas a participar neste evento essencial para a família cabo-verdiana e garante que esta é uma oportunidade de ganhar mais experiência e levar algo de positivo para ser transmitidos no seio da comunidade. “É uma grande oportunidade que as famílias têm para estar juntos, para partilhar aspectos relacionados com a própria vivência no relacionamento familiar, ouvindo palestras relacionados com temas ligados à família. Sairemos daqui mais enriquecidos, mais preparados para enfrentar os desafios que a família cabo-verdiana enfrenta actualmente” acrescenta o participante.

Para além de palestrantes nacionais, o I Fórum Diocesano da Família conta com a participação de conferencistas internacionais: dois casais franceses, membros da Comunidade Emanuel e um padre Belga, ambos peritos em matéria ligadas a família. Eles receberam o convite para participar no evento e partilhar as experiências e os conhecimentos sobre a problemática, os desafios da família hoje.

Nós estivemos em Cabo Verde no ano passado e pudemos visitar os nossos colegas da Comunidade Emanuel (E). Falamos da possibilidade de um fórum para formar casais e pessoas para trabalharem na pastoral da família. A CE é um organismo internacional e tem um ramo dirigido para as famílias, que se chama Amor e Verdade. Temos desenvolvido actividades bastante importantes a nível de África e é neste sentido que estamos aqui para partilhar esta experiência em Cabo Verde. Durante estes três dias, haverá ensinamentos, haverá momentos mais dinâmicos que chamamos de painéis em que apresentaremos temas por exemplo a problemática dos pais solteiros ou a problemática da relação dentro do casamento, etc. explica o palestrante francês, Pierre Esquier.

No da abertura faz-se a apresentação do primeiro tema, “Os desafios da Família hoje”, apresentado pelo padre Olivier Bonnewijn. A sessão continuou com momento de partilha, missa e terminou com a primeira Vigília deste Fórum e Festival com testemunhos.

É de referir que representantes que vieram de outras paróquias ficam hospedadas nas casas de várias famílias na cidade da Praia, que se disponibilizaram para dar sua colaboração neste evento.

Deixe um comentario

Categories