Domm Arlindo impõe as mãos a um diácono para lhe conferir o segundo grau do Sacramento da Ordem

Ontem, dia 17, todos os caminhos iam dar a Assomada,  Santa Catarina onde Dom Arlindo ordenou 4 novos padres: António Leal, de 26 anos, natural de São Miguel Arcanjo,  ilha de Santiago,  Joaquim Furtado Garcia, 30 anos, natural de Santa Catarina (Ilha de Santiago), Edson Bettencourt, 27 anos, natural de Nossa Senhora da Graça e Samuel da Costa, 26 anos, natural de Santa Catarina.

 longa celebração de mais de 3 horas, numa das avenidas da cidade foi participada por umas 4 mil pesssoas de todas as paróquias da Ilha de Santiago e delegações da Ilha do Fogo onde fez estágio o Pe. António Leal. Na assembleia viam-se dísticos das paróquias onde trabalharam com mensagem de encorajamento.

Acompanhado de pais e familiares, os 4 diáconos reconheceram nesse gesto o carinho e o acolhimento da Igreja que eles querem servir com dedicação e fidelidade.  O sol era forte. Cada um tentava proteger-se como podia, mas via-se que era maior o desejo de acompanhar a celebração, especialmente quando faltou energia eletrica e foi pedido que cada um fechasse o seu guarda-sol para permitir melhor visibilidade a todos.

Após a leitura do Evangelho, os diáconos foram chamados individualmente. Respondendo «presente», dirigiram-se para o altar de onde acompanharam o diálogo  entre o Bispo e quem os apresentou. No fim, o Bispo disse que os aceitava para o ordem dos presbíteros e a assembleia juntou-se ao grande grupo coral para cantar ´graças a Deus´ e aplausos.

D. Arlindo pediu uma relaçao pessoal e forte com Cristo

Seguiu-se a homilia, em que Dom Arlndo destacou a importante do momento para a Igreja, comentou brevemente as leituras sobre o crescimento do Reino que como a semente, que cresce, é obra de Deus. Deus quer a colaboração de cada pessoa, mas é dele que vem a força para a Missão. Falou dos critérios da Igreja para a escolha dos presbíteros e realçou que a missão do Padre está centrada na pregação da Palavra, fez uma catequese sobre os sacramentos e lembrou aos ordinandos o dever do serviço ao povo de Deus, à Imagem de Cristo.

O Bispo de Santiago explicitou o sentido genuíno da Igreja, os seus atributos e o que a distingue das seitas que confundem a mente dos fiéis.

Aos ordinandos pediu que continuem a se esforçar para serem reflexos de Cristo, que continuem a estudar, que acompanhem as famílias, que contem com os colegas padres e com o Bispo da diocese.

Aos fiéis reunidos pediu que cuidem dos seus padres a quem não deve faltam o apoio das famílias. Enfim, com humildade e generosidade procurem exercer o ministério sacerdotal.

O rito da ordenação

O rito da ordenação prosseguiu com o diálogo entre o Bispo e os ordinandos, que disseram sim aos compromissos que a Igreja espera dele. Colocando as mãos nas mãos do Senhor Bispo fizeram a promessa de obediência e reverência ao Bispo e seus legítimos sucessores. Prostraram-se para a ladaínha de todos os santos, um momento que emociona a todos e é seguido com devoção e toos rezaram por eles.

No fim da oração consecretória, os novos padres foram revestidos com as vestes sacerdotais, foram ungidos e receberam os dons para a eucaristia.

No fim, foram acolhidos pelos Bispos e pelos sacerdotes com um abraço. Momento de emoção, eclesialmente significativo pois representa a unidade do presbitério. Não faltaram aplausos da assembleia.

Os novos padres tomaram lugar ao lado de Dom Arlindo, presidente da celebração.

A Eucaristia prosseguiu normalmente. No fim, o Pe. Angelino Coelho, Pároco de Santa Catrarina agradeceu a pessoas e instiutições de Santa Catarina que contribuiram pela boa organização da ordenação que a comunidade cristã acolheu com alegria.

Agradecimentos a Deus e a muita gente….

Contentes, emocionados, cada um agradeceu a Deus, aos familiares, amigos, às instituições, aos seminário de S. José, aos formadores dos seminarios maiores em Leiria, Coimbra e Lisboa. Agradeceram ao Senhor Dom Paulino Évora, que os acolheu e ajudou no Seminário menor e os enviou a Portugal, aos párocos que os animaram. Todos falaram da disponibilidade em colaborar com o Bispo na obra da evangelização que a Igreja de Cabo Verde assume voltada pra a família como prioridade.Os amigos e colegas não foram esquecidos. Um apelo aos jovens foi feito com emoção e convicção porque «nos é feliz ora ki nu entrega nôs vida a Cristo pa siurbiço di Igreja». Afinal, lembrou o Pe. Samuel em nome de todos: «Ku Kristo ka ten tadjo» (Com Cristo nada é impossível).

Mergulho na Multidão

Depois da bênção final, os novos padres se mergulharam entre familiares, amigos e fiéis desejaosos de lhes dar um abraço de gradidão. Lágrimas não faltaram, especialmente de mães e parentes mais proximos. Palavras não dizem o que vai na alma nessas horas.

Na casa paroquial e na Escola Técnica estava tudo preparado para o almoço que iria ajudar a refazer as forças. Por todos os lados o clima era de convívio alegre e saudável que se prolongou até depois das 18 horas.

De notar que a Eucaristia foi bem animada pelo grupo coral paroquial alargado, com gente de todas as faixas etárias, sob a direcção do Pe. Isaías, vigário paroquial de Santa Catarina.

Foi assim, um evento especial porque 4 padres foram ordenados de uma só vez. Que venham mais, porque, conforme Dom Arlindo, a Diocese precisa ao menos de maisd 10 sacerdotes para responder às demandas mais urgentes.

«Pedi e recebereis»!

2 Responses to “Diocese de Santiago tem 4 novos padres”

  • Evanildo Reis:

    muito obrigado a equipa do site da diocesesantiago, por nos ter dado a oportunidade de ver este grande momento atraves das fotos. que Deus abençoe esses novos quatro padres, fazendo deles verdadeiros pastores a imagem de Jesus o Bom Pastor.

Deixe um comentario

Categories