Estamos no mês Vocacional na Diocese de Santiago. Um tempo que deve ser marcado por mais atenção e sensibilidade à dimensão vocacional dos fiéis nas diversas expressões: leigos na vida matrimonial ou como ´consagrados´, como padres ou membros de um Instituto Religioso.

Já apresentamos  neste siteum artigo sobre a vocação dos leigos na Igreja. O artigo de hoje é sobre os sacerdotes. Quem são os sacerdotes? Porque alguns são chamdos diocesanos? Quem são os sacerdotes religiosos?

Os sacerdotes, escolhidos de entre os homens e constituídos em favor dos mesmos para as coisas respeitantes a Deus, para oferecerem sacrifícios pelos pecados, convivem com os demais homens como irmãos. O seu ministério exige, de um modo especial, que não se conformem com este mundo, mas, em contrapartida, requer que vivam neste mundo no meio dos homens e que, como pastores, conheçam as suas ovelhas e até mesmo procuram atrair aquelas que não pertencem a este redil, para que também elas oiçam a voz de Cristo e haja um só rebanho e um só pastor.

SACERDOTES DIOCESANOS

sacerdotes que estão incardinados numa Igreja particular ou Diocese. Foram ordenados para essa Diocese. São por isso chamados padres diocesanos. Podem, entretanto, ser enviados como “fidei donum” (dom da fé) para uma outra diocese por algum tempo. Por exemplo, o bispo de Mindelo era um sacerdote diocesano ‘fidei donum’ do Patriarcado de Lisboa para a Diocese de Mindelo.

SACERDOTES RELIGIOSOS

Há sacerdotes que pertencem não a uma diocese mas a um Instituto de vida consagrada ou a uma Ordem religiosa. São os padres religiosos, como os Franciscanos, os Capuchinhos, os Espiritanos, os Salesianos, os Orionitas, Jesusitas, etc.. De entre os que trabalham em Cabo Verde há cabo-verdianos, portugueses e italianos.

Os religiosos (homens e mulheres) têm como vocação específica testemunhar radicalmente o Reino de Deus vivendo em comunidade os conselhos evangélicos (pobreza, castidade e obediência). Estão sob a acoordenação de um membro que é, geralmente chamado ´superior´da comunidade.

TODOS SOB A ORIENTAÇÃO DO BISPO
Quando os padres religosos trabalham numa paróquia como párocos ou vigários paroquiais, estão em sintonia com as prioridades pastorais estabelecidas pelo Bispo diocesano. Outros membros da congregação exercem trabalhos específicos ligados aos seus carismas e prioridade. (veja neste site os carismas de cada Instituto Religioso presente na Diocese). Como os padres diocesanos, estão sob a Orientação do Bispo diocesano no que toca à vida Pastoral.

Tanto os padres diocesanos como os religiosos participam e exercem com o Bispo o sacerdócio único de Cristo. Por conseguinte estão constituídos colaboradores diligentes da Ordem Episcopal.

A MISSÃO PROPRIA DO PADRE DIOCESANO: O caso de Cabo Verde

Na missão pastoral a nível das paróquias os sacerdotes diocesanos têm prioridade, visto estarem incardinados ou ligados a uma Igreja particular diocese, e terem sido ordenados para serem colaboradores do Bispo de uma porção do povo de Deus na Diocese a que  pertencem. Eles são incardinados numa diocese. Os padres religiosos nao estão incardinados numa diocese porque não estão vinculados a um lugar, mas a um Instituto ou Ordem religiosa, disponíveis para a Missão que a Congregação em qualquer lugar, a serviço da sua Congregação ou ordem religiosa. Ser pároco, por exemplo, é um serviço próprio do padre diocesano a quem pertence a chamada «cura pastoral» numa paróquia. Em Cabo Verde, por não haver padres diocesanos em número suficiente, a maior parte das paróquias tinha como párocos sacerdotes de uma Congregação ou ordem religiosa e não diocesanos. Agora que há mais sacerdotes diocesanos, é natural que o Bispo indique os padres diocesanos para serem párocos. Isto não é discriminação, como pensam alguns, e em nada fere a missão dos padres religiosos cuja missão específica não é serem párocos. Eles têm formas próprias de viver o carisma do seu Instituto. Podem estar numa paróquia e aí desenvolver a sua missão, colaborando com os párocos conforme a sua disponibilidade. Assim se edifica a Igreja de Cristo, cada um conforme a sua vocação e missão específicas, unidos na sã diversidade.

5 Responses to “Padres diocesanos e padres religiosos: Iguais e diferentes”

  • Landa:

    Que artigo esclarecerdor. Assim se controi a igreja… Com variedades de dons e com mentes esclarecidas… Obrigada a quem escreveu o artigo. Que deus cumule de bençaos a nossa Igreja Diocesana.

  • Marcos Silva:

    Sou brasileiro,da diocese de Natal,Estado do Rio Grande do norte.Pela primeira vez visito o site dessa simpática diocese.Sou estudante de teologia,vocacionado ao sacerdócio e entusiasmado com o empenho missionário da Igreja.Irei colocar todos os diocesanos de Santiago em minhas orações e rezar para que Deus suscite vocações para a diocese. Ao Bispo,Dom Arlindo,que Nossa Senhora proteja com seu amor materno a sua grande,árdua e bonita missão. Paz e Bem

    • admin:

      Marcos, muito obrigado pelo comentário e pela oração pela nossa diocese. Farei o mesmo por ti. Estudei no Rio com alguns colegas de NAtal. Um deles é Pe. Lucas Neto, grande amigo.Dom Dulcénio e muitos outros bispos passaram pelo mesmo seminario de S José, Rio de JAneiro. PAdre zé Álvaro

  • Rogério Gomes Carpentier:

    Gostei do que está escrito nesta pagina, embora não consgui ainda encontrar a informação que procuro. O meu filho Rui Pedro Carpentier foi para a ilha de S. Vicente para lecionar matemáticas na Universidade do Mindelo mas ainda não rncontrou onde fica a igreja paroquial de Na Senhora da Luz. Ficaria muito grato se me ajudassem a informar o meu filho.
    Desde já agradeço a vossa atenção e termino enviando um abraço fraterno em Cristo Nosso Salvador. Rogério Gomes Carpentier

    • admin:

      Salve. Creio que basta perguntar a qualquer pessoa de MIndelo pra saber onde fica a Igreja. A própria universidade para dar indicaçóes ao seu filho.

Deixe um comentario

Categories