A Paróquia de Nossa Senhora da Graça, na Praia, deu início, ontem, quinta-feira, 23 de Fevereiro de2012, à VIII Edição das Conferências Quaresmais, este ano sob o lema ” A promoção da Paz e da Justiça na verdade para todos”. Um tema pertinente em sintonia com a Assembleia Especial para a África do Sínodo dos Bispos que tratou da questão da Paz e da Justiça. Na sequência disso o Papa Bento XVI publicou a Exortação Apostólica AFRICAE MUNUS (o serviço da África) que apresenta os assuntos fulcrais para uma África que aspira pela reconciliação, a justiça e a paz. Muita vezes o orador da noite, Frei Gilson Frede, se referiu a este documento recentemente estudado pelos padres que trabalham na diocese de Santiago.

Em Cabo Verde, nos últimos anos, vem crescendo, sobretudo nos principais centros urbanos, com destaque para a cidade da Praia, actos de violência e criminalidade que vem pôr em causa a paz e a justiça social. Por isso, o lema deste ano não podia ser mais adequado face ao que se vive em Cabo Verde, e sobretudo nos outros países do continente Africano, onde a guerra (destaque para os conflitos tribais) e a injustiça social (fruto da corrupção dos governos) tornaram-se problemas graves.

“A nossa primeira motivação é a situação de insegurança, de falta de paz que estamos a viver na nossa sociedade. A nossa função é formar consciências para colaborarem com a paz e é o que nos estamos a fazer aqui, dando o nosso contributo com cristãos para uma sociedade pacífica” argumenta o padre João Augusto, pároco de Nossa Senhora da Graça.

O Frei Gilson Frede, Capuchinho, com o tema “Cristo Fonte de Reconciliação, Justiça e Paz”, abriu a VIII Conferência Quaresmal. Na sua intervenção, o orador quis partilhar a ideia de que a paz não é fruto dos nossos artifícios e modos de fazer, mas que a paz é um dom de Deus e que é preciso recebê-la de Deus. Aquele religioso apresentou Cristo como o exemplo da paz que os cristãos devem seguir.

O Frei Gilson afirmou que a Igreja tem um papel importante na promoção da paz social. Defende que “é preciso que a Igreja tenha capacidade, humildade de colaborar mais e ser mais presente nestes tecidos sociais onde há maiores dificuldades e criar condições para estar mais próxima dessa gente. Não digo somente criar estruturas, porque pode não ter condições económicas e pessoal neste momento. (…) se um leigo inicia um trabalho e não se sentir apoiado pelo menos moralmente acaba por desistir. Esta acção deve acontecer em nome da comunhão dentro da Igreja”.

O tema apresentado prendeu a atenção de centenas de pessoas de todas as idades que lotaram o Salão Paroquial durante cerca de três horas. Depois da apresentação do tema, seguiu-se o momentos de esclarecimentos, partilha de opiniões, enfim, um momento, de muita interacção, o que mostra o interesse das pessoas em saber mais sobre a paz e como combater a injustiça e a violência, tendo Jesus Cristo como Fonte de inspiração e da Paz.

 “O que ficou do tema é que a paz é mais do que aquilo que pensamos. Mais do que a ausência de guerra, de conflito, de dificuldades, é a capacidade de superá-los e ir além disso, é a capacidade de construir a paz mesmo sem ter pessoas que concordem com tudo na plenitude e sobretudo, é ter Jesus como fonte da paz. Penso que o lema deste ano é muito actual, dada a situação que estamos a viver na cidade da Praia e em Cabo Verde no geral, mas também é uma forma de nós, católicos estudarmos, reflectirmos sobre a mensagem da Exortação Apostólica AFRICAE MUNUS (o serviço da África) que é fruto do último Sínodo sobre a Africa (2009). É um documento feito particularmente para a África. Então que bom termos esta oportunidade de estudá-lo”, diz Irmã Iolanda de Oliveira.

No primeiro dia da Conferência, o Salão Paroquial da Praia encheu-se de gente de várias idades. É um evento que já tornou-se uma tradição na Paróquia de Nossa senhora da Graça.

“A Conferência Quaresmal é muito importante para nós cristãos, porque ajuda-nos no dia-a-dia a lidar com os problemas e com os outros, sobretudo com aqueles que precisam de ensinamentos. Poderemos partilhar os conhecimentos adquiridos com os outros que não podem vir. Podemos partilha-lo através do nosso trabalho como legionário, como membro de apostolado de oração”, etc, diz Elisa da Veiga.

“É um lema bem escolhido para este tempo que estamos a viver, porque de facto, vivemos no mundo de violência, a nível mundial e, isso acontece se calhar é por falta de conhecimento do evangelho, da palavra que Jesus nos deixou. Hoje as pessoas não têm uma formação espiritual, vivemos um materialismo excessivo e não sabemos partilhar. Para haver paz tem de haver justiça social para que todos os homens tenham o pão-nosso de cada dia, que haja partilha”, acrescenta aquela legionária.

A Conferência Quaresmal já é uma tradição e as pessoas já estão a contar com isso todos os anos e a demonstração disso é que o salão esteve cheio neste primeiro dia, certamente, esperamos que continue cheio nas próximas sessões. Nos estamos a esperar ter pessoas mais motivadas para fazer alguma coisa concreta para dar um sinal de que a Igreja está preocupada com os irmãos”, Padre João Augusto.

Durante esta VIII Conferencia Quaresmal seguem mais cinco sessões. O evento vai trazer em cada semana um especialista que vai debruçar sobre um tema específico relacionado com a paz, a justiça social. A última conferência acontecerá no dia 29 de Março e terá como tema “Educação para o Amor” e será apresentado pelo Dom Arlindo Furtado, bispo da Diocese de Santiago.

A Conferência Quaresmal da Paróquia de Nossa Senhora da Graça começou em 2004 e desde então, faz parte da agenda anual por ocasião da quaresma. Desde então, tem sido uma oportunidade de reflectir, partilhar conhecimento e opiniões e de esclarecimento sobre temas diversos.

Na próxima quinta feira, 01 de Março de 2012, pelas 17H45, acontece a segunda sessão da Conferencia com o tema “o respeito pela dignidade da pessoa humana: caminho para a Paz. O orador será o Dr. José Maria Semedo.

Deixe um comentario

Categories