Padres concelebrando na Capela do Seminário S José 2012

 No primeiro dia de reciclagem, depois de uma motivação para um momento de oração com a Palavra de Deus, o Pe Daniel  apresentou as grandes linhas da exortação apostólica pós sinodal Africae munus (o compromisso da África). Trata-se de um documento essencialmente sobre a evangelizaçao e a missão da Igreja na África tendo como foco a reconciliação e a Paz.O Animador lembrou aos 27 padres presentes que o documento desenvolve três conceitos principais que reflectem a missão fundamental a Igreja: o serviço da reconciliação, da justiça e da Paz.

A Exortação apostólica afirma a sintonia da Igreja com a Igreja africana que tem por missao levar a África a aprofundar vocação cristã, vivendo em nome de Jesus a reconciliação entre as pessoas e as comunidades e a promover a justiça na verdade para todos.

O Pe. Daniel propôs uma metodologia que articula a dimensão reflexiva intelectual e a dimensão orante. «Rezamos juntos como sacerdotes sobre a Palavra de Deus que vai ser estudada. Dedicamos 1 hora a isso, há uma pequena pregação seguida de silêncio na óptica da lectio divina e mais tarde encontrar nos diversos documentos«. Explica: «Se estamos a falar de uma Igreja que se quer renovar, seremos os primeiros a dedicar-nos à meditação da Palavra de Deus». Bispos, padres, religiosos e leigos vivendo segundo o coração de Deus exercem eficazmente a sua missão evangelizadora, cada um no seu âmbito específico, para o bem de toda a Igreja. É o que se depreende do documento compromisso da África.

P. Daniel

A exortação sinodal aborda assuntos sociais e políticos que exigem a cura de muitas feridas que a guerra provocou. É preciso agir com acções concretas a nível da estrutura e nao só pessoal. O ponto de partida é «uma chamada muito forte à santidade que é a primeira resposta que temos que dar, resposta do nosso encontro pessoal com Cristo que muda o nosso coração e nos leva à procura de uma justiça sempre com o amor do Evangelho e a uma paz que  por isso mesmo é mais solida», explica o P. Daniel

Entretanto, o documento diz que «a reconciliação pessoal necessidade de passar também às estruturas». Não esquece esta dimensão socio-política institucional concreta que, segundo o Orientador, «está muito presente, embora não seja a  mais importante. As estruturas são «uma consequência do encontro pessoal con Cristo que muda o nosso coração»  numa ´experiência de Deus. O Padre Daniel fala da «necessidade de se criar meios ou actividades nas quais a classe intelectual e as diferentes ´classes´da sociedade tenham possibilidade de receber o Evangelho e de poder elaborar, de acordo com o seu talento profissional,  estruturas e meios de ajuda social. Isso é trabalho dos leigos. Só os leigos é que o podem fazer», conclui o orientador.

Para a exortaçao pós-sinodal a missão dos pastores – ministros ordenados – é apresentada como a de guias espirituais, e não de guias politicos, com uma intervenção eminentemente espiritual. O que não significa alienar-se das condições de vida e situações estruturais de corrupção e de injustiça que reclamam um acção firme de denúncia e de anúncio dos caminhos e condições da justiça e da Paz em vista do bem comum. Neste âmbito, «precisamos levar a sério o trabalho com as diferentes partes da sociedade, ressalta o animador.

Na segunda parte do dia houve quatro grupos de trabalho que reflectiram sobre 3 aspectos:

1. Se característica da intervenção da Igreja em vista à reconciliação é de carácter espiritual (apelo à conversão pessoal) ou de ntervenção a nível institucional e de mudança estrutural? 2. A Igreja de Cabo Verde vê-se ou não como Familia de Deus? O que potenciar? Por fim, a perspectiva missionária da Igreja em Cabo Verde e as suas potencialidades.

No fim do dia os padres participaram na celebração Eucaristia, seguida de jantar, que é também momento de fraternidade e convivência. Afinal, tudo faz parte deste momento formativo anual.

Esperamos publicar os resumos de cada dia.

PZB

Deixe um comentario

Categories