A Pastoral familiar está a ser dinamizada em Cabo Verde

A pastoral familiar é uma prioridade em Cabo Verde

O Secretariado Diocesano da Família, SDF, promoveu, hoje, Domingo, 08 de Janeiro de 2012, a terceira sessão de formação de casais. A iniciativa está enquadrada no plano de actividades do Secretariado e tem como objectivo, de acordo com Filomena Moreira, coordenadora do SDF, “formar mais casais das paróquias da Diocese de Santiago, para nas suas paróquias criarem e dinamizarem a pastoral de família. Achamos que a melhor forma é começarmos com formação para que os formadores possam ter algo para transmitir aos outros casais nas suas paróquias”.

Estando numa sociedade onde muitas famílias estão destruturadas e sem uma base sólida, onde muitos valores essenciais na família estão a desaparecer, a Diocese de Santiago elegeu como uma das prioridades a família. Ver na diocese famílias sólidas, bem formadas e unidas constitui um das principais preocupações do Bispo D. Arlindo Furtado, outro impulsionador desta formação de casais, que acredita que só teremos uma sociedade melhor se a família estiver bem organizada e a funcionar bem .

Esta formação de casais teve início em Outubro de 2011 e tem acontecido uma vez por mês. Em cada encontro, há um tema novo relacionado com a família a ser administrado. Ao todo são sete sessões de formação, onde em cada um será abordado um tema relacionado com a vida de casal. Construção de uma base sólida; a arte de comunicar entre os casais e  resolução de conflitos, são os temas abordados nas três primeiras sessões.

A formação de casais acontece com a colaboração da Comunidade Emanuel, um grupo com alguma experiência na formação de casal, que  respondeu ao apelo do Bispo para juntar a este desafio de ajudar os casais a crescer na fé, na união e na construção de famílias sólidas. “Os casais estão a gostar. Acredito, que as sessões têm ajudado na resolução de problemas diários de muitos que participaram. Hoje, acredito que demos pistas, porque é esse o nosso objectivo, com a nossa pouca experiência ajudar os casais a estabelecer-se como casal e resolver os seus problemas”, disse Matilde Teixeira, membro de Comunidade Emanuel, que juntamente com o esposo Rito Teixeira ministraram a formação.

Os encontros acontecem no Salão Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Graça e têm contado com uma participação significativa de casais de várias paróquias da Ilha de Santiago. Nesta sessão foi debatido o tema resolução de conflitos e teve a participação de 25 casais. Jovens recém-casados e outros com mais anos de experiência de vida a dois reúnem com o mesmo objectivo: partilhar a experiência de vida a dois e em família, aprender juntos a construir uma família solida, saber compreender o outro, ter base para resolver os conflitos que surgem no dia-a-dia, mas também ter algo para partilhar com os filhos e com os outros casais e desta forma contribuir para uma sociedade melhor.“Tudo o que aprendemos vai servir para construirmos o nosso casamento de forma mais sólida. A vida a dois é um processo, uma construção, nunca termina. Temos que estar sempre a aprender a construir, a melhorar e a levar as coisas para a frente, e isso tem de ser feito através de um aprendizagem e um exercício contínuo e de formação, salienta. Filomena Moreira.

“Achamos que há sempre espaço para crescimento, porque temos nossas limitações e há momentos bons e momentos menos bons. É uma oportunidade para nós, porque podemos partilhar isso com nossos filhos e outras famílias e onde estivermos. Isto é um reforço para mim,
porque para além de ter a minha família, eu trabalho com muitas crianças, isso ajuda no meu trabalho e na minha família. Esta formação é uma ferramenta com o qual podemos aprender muitas coisas, que depois podemos transmitir aos mais jovens, porque se não passarmos estes conhecimentos aos jovens hoje, amanhã eles vão cometer os mesmos problemas que muitos casais têm hoje, na formação de
família, na educação dos filhos e na resolução de conflitos etc., acrescenta convicto Fernando Pinto, que participa na formação ao lado da esposa Fernanda.

TESTEMUNHOS
Alírio Cabral Gomes e Clara Gomes é outro casal que participa nas sessões com o objectivo de solidificar o casamento de um ano e quatro meses, mas também para dar apoio na paróquia de Nossa Senhora do Socorro, onde pertence, no sector da família. “Tem sido uma experiência
gratificante, muito boa. Nas sessões temos feito exercícios que nos permitem conhecermo-nos melhor e o nosso parceiro. Conhecemos casais com mais anos de vivência de casamento e com mais experiência de vida e na resolução de conflitos. Às vezes, as pessoas pensam que os casais católicos não têm problemas. Isso não é verdade, nós temos os nossos problemas e são iguais aos das pessoas que não são católicos. A nossa vantagem é que temos uma base de recursos que é a Igreja e Jesus Cristo que é o nosso alento, a nossa luzinha no fundo do túnel, que nos ajuda a ultrapassar os nossos problemas”, diz Alírio Gomes.

É uma grande iniciativa, é de louvar e deve ser alargado a mais casais. Na nossa sociedade vemos que a família precisa de ser mais bem estruturado e consistência, tanto a nível social, como a nível da Igreja. Com esta formação cada um de nós que sai daqui vai contribuir para a nossa sociedade, na nossa paróquia”, acrescenta Clara Gomes.

A família é a célula base de toda a sociedade, onde tudo começa…Na situação de hoje em dia, aos poucos a família começa a perder os valores que lhe são essenciais. A existência de famílias destruturadas, crianças e jovens a crescer sem uma referência, sem orientação, torna-se urgente preparar a família para que esteja melhor preparada a cumprir o seu papel na sociedade. De acordo com Rito Teixeira é preciso “ver o casamento com o algo bom, que viver junto é algo positivo e que se a família não estiver prontos a sociedade também não estará pronta. O primeiro desafio é a construção de família e o amar-se um ao outro. No fundo, esta formação consiste em recordar que o que o une duas pessoas é o amor”, remata Rito Teixeira.

Deixe um comentario

Categories