A comunidade cabo-verdiana está bem integrada em Roma

A comunidade de Cabo Verde em Roma, no Dia Internacional dos Migrantes (ONU), assinalou a importante Jornada de 18 de dezembro, com a Festa de Natal. Este ano, enriquecida pela presença de D. Carlos de Azevedo, um dos três bispos portugueses residentes na cidade do Papa, empenhados na Cúria Romana, ao serviço da Igreja Universal.

O bispo D. Carlos de Azevedo, que trabalha no Conselho Pontifício para a Cultura, de que é presidente o cardeal D. Gianfranco Ravasi, dirigiu durante a solene eucaristia, concelebrada pelos capelāes P. Ima e P. Rui, palavras de muito apreço pela fidelidade dos imigrantes a sua fé em terra estrangeira. “Como Maria, deveis abrir a vossa casa a Deus que vem habitar este mundo que muito ama e onde ainda muita gente vive sem o direito a uma casa condigna ”, disse o prelado. Na verdade, sāo muitos os imigrantes – mulheres e homens – em Roma que, no desenrolar da sua atividade profissional em regime interno – serviço domestico e apoio domiciliar a doentes e idosos – vivem sem casa própria, habitando o quarto colocado a disposiçāo na casa dos próprios dadores de trabalho.

D. Carlos manifestou a sua alegria em estar, de novo, no meio da comunidade caboverdana que aprendeu a conhecer e a servir nas suas visitas e serviço pastoral, como bispo auxiliar de Lisboa.

O senhor embaixador de Cabo Verde, Dr. José Eduardo Barbosa – sempre presente nos momentos fortes da vida da comunidade – apresentou as boas-vindas ao prelado nortenho. Manifestou sua alegria por ver reforçada a presença lusófona em Roma para que nunca faltem pastores que acompanhem os migrantes na propria língua e cultura, fator imprescindivel para uma “integraçāo de qualidade” e um itinerário espiritual, como o demonstra o bom exemplo da comunidade de Cabo Verde, que desde as primeiras chegadas em 1962, se apresenta, assim, como uma das comunidades mais antigas e bem integradas da capital italiana.

A comunidade assinalou a Festa de Natal com presépio vivo, teatro, canções tradicionais. Caboverdeanos e italianos presentes fizeram também memória grata da grande “diva dos pés descalços” e invulgar embaixatriz da cultura da sua terra, a cabo-verdeana, Cesária Évora, cantando com emoçāo e “sôdade”, no final da missa a cançāo que ela tāo bem sabia interpretar “Hoje é Natal, irmāos. Noite de paz e alegria”.

Os cidadāos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em Itália rondam as 60.000 pessoas num universo de 4,570.000 estrangeiros legalmente residentes. Os estrangeiros constituem atualmente 7,5% da populaçāo total, dados estatísticos referentes a 31.12.2010.

A comunidade do Brasil é a maior com 46.690 presenças, seguindo-se Portugal com 5.678 individuos, Cabo Verde com 4.601 e Angola com 1.710 cidadaos. As outras 4 comunidades lusófonas registam presenças inferiores as 500 pessoas.

O “Centro N. Sra. do Rosário”, sita emVia Sicilia, que acolhe a comunidade de Cabo Verde vai celebrar, ao longo do próximo ano, os seus 40 anos de serviço aos imigrantes.

Manuel da Silva

Deixe um comentario

Categories