Em 1976, eram 3 finalistas e a ordenação deles foi um grande acontecimento. Depois veio uma ´seca´ de 11, até 1987, quando era apenas 1. Aos poucos o panorama vocacional foi mudando para melhor. Às vezes 1, outras vezes 2 ou até 3 finalistas. Este ano, uma boa excelente notícia: 4 estagiários diocesanos firmes na vocação: Samuel da Costa, António Leal, Edson Bettencourt e Joaquim Garcia são os quatro futuros padres da Diocese de Santiago de Cabo Verde. São Jovens que responderam ao chamado de Jesus Cristo e agora fazem estágio pastoral, preparando-se para a ordenação e o exercício do ministério na obra urgente da nova evangelização.

Depois de sete anos de intenso trabalho e de preparação mais teórica no Seminário Maior e de formação universitária realizada em Portugal, os jovens seminaristas voltaram para a terra natal, a fim de se prepararem, num estágio realizado nas paróquias antes da ordenação.

Cada seminarista ficou numa paróquia a ganhar experiência pastoral sob a responsabilidade de padres com alguma experiência sacerdotal e pastoral.

O site da Diocese de Santiago conversou com os futuros sacerdotes pra saber como está sendo esta fase de preparação próxima para a vida sacerdotal.

 

Samuel da Costa: Ajudar as pessoas a estarem mais próximas de Cristo.

O Samuel divide-se entre a Paróquia de São Filipe Apostolo e o Seminário de São José, na cidade da Praia. Responsabilidades que o jovem seminarista tem abraçado com muito empenho e dedicação. “Esta fase não estar a ser assim tranquila, porque cheguei em Setembro, comecei a fazer o estágio na Paróquia de São Filipe e também aqui no seminário. O padre Zé Álvaro sentiu necessidade de ausentar, por razões de saúde e, de repente estou sozinho no seminário com dez rapazes. É algo exigente, conta o seminarista Samuel Costa.

O jovem de Santa Catarina promete ser um bom pastor. “Neste estágio pastoral, a minha maior perspectiva é aprender a ser um bom pastor, ser um padre que ajuda as pessoas a se converterem. Porque há muitas pessoas que vão a Igreja, mas que não têm grandes atitudes na vida da igreja. Nesta fase, estou a aprender quais são os passos que temos de dar, as atitudes que podemos ter, como sacerdotes, para ajudar as pessoas a estarem mais próximas de Cristo”.

O estágio é para estes seminaristas uma fase de preparação, de ganharem alguma prática no domínio pastoral e ter uma ideia clara daquilo que lhe espera, depois da ordenação.

Na paróquia de São Salvador do Mundo Edson Bettencourt tenta conhecer a realidade de um trabalho paroquial e, também, estar mais perto dos paroquianos. Levar as mensagens de Deus e a evangelização dos paroquianos tem sido uma das apostas deste seminarista.

Disponível para a entrega

De São Salvador do Mundo para Santo Amaro Abade, no Tarrafal. Foi para lá que Joaquim Garcia foi e para o estágio. Começou em Setembro deste ano e avalia a experiência como “muito positiva”. A alguns meses de ser ordenado Joaquim diz que estar «disponível a entregar tudo a causa de Deus».

Na ilha do Fogo está António Leal, sob a orientação do padre José Eduardo. O jovem desdobra-se entre as paróquias de Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora de Ajuda e Santa Catarina, auxiliando os padres no trabalho pastoral. “A comunidade é grande, são três paróquias e dois padres. Muitas vezes faço celebrações da Palavra, acompanho o grupo coral, ensino os jovens a tocar alguns instrumentos. Dou colaboração na área musical e litúrgica. Acompanho os acólitos, grupos de jovens, enfim, toda a dinâmica das paróquias, onde posso aprender para depois saber como agir”, conta o futuro padre.

Para o seminarista António Leal, o estágio nas paróquias da ilha do Fogo tem sido uma “experiência enriquecedora onde tenho vindo a aprender e a ter consciência do que é ser padre. Ele está ciente que é «preciso dar o meu máximo para poder aprender, ser um bom pastor e poder servir o povo de Deus”.

Estar sempre preparados para esses desafios da nova Evangelização

Numa atura em que a Igreja aposta na nova evangelização, o Bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, quer contar com os futuros padres nesta grande missão de levar a boa nova a todos. De acordo com Edson “procuramos estar sempre preparados para o desafio de evangelizar, de dar a conhecer o evangelho. Deus é quem nos chama, é Ele que nos dá todo o apoio e capacidade para enfrentar o desafio de evangelização num país como o nosso”.

”Neste sentido, nós chegamos cá disponíveis para aquilo que a Igreja nos pedir. Portanto, sabendo que uma das prioridades da Igreja é essa nova evangelização, nós estamos disponíveis a cooperar com o bispo neste grande desafio”, acrescenta Samuel Costa.

Em relação aos desafios que um padre enfrenta hoje na evangelização, Joaquim conta com a força do Alto. “Deus certamente nos indica o caminho e nos dá a capacidade para realizar o seu trabalho. Estamos confiantes porque temos Deus do nosso lado”.

António que tem como principal objectivo conhecer melhor as pessoas e saber como fazer chegar aos seus corações a mensagem do evangelho, diz. “Como sacerdote, pretendo exercer o meu ministério segundo a vontade de Deus e como a Igreja me pedir, assumindo aquilo que a Igreja é e ter a consciência da responsabilidade desta missão. O objectivo maior é levar as pessoas a encontrar Cristo” declara.

Ajudar os jovens que estão na igreja a tornarem-se cada vez mais firmes na fé

Todos são jovens e, talvez por isso mesmo, têm uma atenção especial à juventude. Também não lhes passa despercebido o facto de vivermos, hoje, numa sociedade onde cada vez mais os jovens estão a ser atraídos por maus caminhos. A grande aposta é ajudar os jovens que estão na igreja a tornarem-se cada vez mais firmes na fé, de modo a serem exemplos a ser seguidos por aqueles que estão afastados da igreja e, também, a ajudar os que estão no caminho da delinquência a aproximar-se de Deus e da Igreja.

Em Santo Amaro Abade, Joaquim constata que há jovens que vivem a fé e participam na igreja, mas admite que é preciso fazer um trabalho permanente junto deste grupo. “Por aqui temos procurado levar a juventude para a igreja, eu estou com eles e vamos fazer uma caminhada juntos. A juventude faz parte da igreja. Eu, enquanto jovem, é claro que terei os jovens como parte do dia-a-dia do meu ministério; eles vão estar na minha oração e vão contar com a minha amizade, garante Joaquim.

“Estou a fazer estágio na Paróquia de São Filipe Apostolo, Praia, e lá eu trabalho com jovens. Durante o meu ministério sacerdotal, conto dar o máximo apoio à camada juvenil, nunca dizer não a qualquer actividade para a qual me convidem e estar sempre disposto a estar com eles a ajudar-lhes nas suas dificuldades porque o jovem é o futuro. Há que apostar de forma séria, na formação da juventude”, acrescenta Samuel.

Na ilha do Fogo o António Leal conta que nas duas paróquias onde faz estágio tem notado uma participação activa dos jovens. Ultimamente tem-se realizado vários eventos que envolvem crismandos, escuteiros e catequistas. Actividades que têm contado com a presença do seminarista, muito atento à juventude. “Acho que esses jovens têm uma base, e com um bocadinho de vontade e alegria conseguirão chegar ao grau sublime, esse é o nosso grande objectivo, salienta.

Samuel, Joaquim, Edson e António, são jovens firmes e enraizados em Cristo. Unidos pela mesma vocação, têm os mesmos objectivos: abraçar o sacerdócio e servir a Deus e ao povo. Estão dispostos a darem tudo de si pela causa de Jesus Cristo e da sua Igreja.

DS

2 Responses to “Pela primeira vez Diocese tem 4 Seminaristas estagiários nas paróquias”

  • irma francisca:

    gostei das vossas entrevistas e que Deus vos ajude a concretizar este vosso sonho e vocação na igreja e para a igrejaestamos unidos em oração podem contar com o meu apoio

  • Alexandre:

    Forças colegas! Aquele que é capaz de acreditar e de dizer: «Encontrámos o amor!», não pode deixar de transmitir o que recebeu. «Ai de mim se não pregar o Evangelho» (1 Cor 9,16)

Deixe um comentario

Categories