Começaram com força as festas dos Santos populares: Santo António, São João Baptista, São Pedro e São Paulo.

Este ano, a festa de Santo António calhou na segunda-feira passada, dia 13 de Junho, o que não impediu que, nos lugares do país onde é celebrado como padroeiro principal, a festa fosse menos rija. Esta festa reveste-se de um caris cultural muito forte pela sua antiguidade e pelas tradições que se foram desenvolvendo à sua volta em varias ilhas.

Na ilha de Santo Antão, no Paul, a festa tem o nome de Santo António das Pombas e é celebrada como festa do Município com toda a força. Este ano a missa e a procissão contou com grande afluência de gente e não faltaram as diversas promessas a serem pagas, afinal Santo António nunca deixa mal aqueles que recorrem a ele, pedindo a sua intercessão em qualquer situação. O Padre Zé Maria, falando à televisão, referiu-se à grande devoção do povo ao Santo e de como seria bonito que ela se estendesse à invocação de Santo António como padroeiro e protector dos noivos. Mostrou mesmo esperança de criar nas pessoas essa consciência e talvez, quem sabe, se comece a celebrar matrimónios nesse dia, colocando os noivos sob a sua protecção.

Na ilha do Sal, o Bispo Dom Ildo Fortes foi quem presidiu a Eucaristia falando de Santo António como exemplo de homem apaixonado e eloquente capaz de cativar as suas palavras, levando à conversão de vida quem o escutava.

No Tarrafal de Santiago presidiu a Eucaristia o Bispo Dom Arlindo. Todos se mostraram satisfeitos devido `a capela de Santo Ant’onio totalmente restaurada onde se realizou a celebração e não faltaram as referências a Santo António como exemplo seguir na sua doação total a Deus.

O Paroco, Padre Irineu Correia, disse emocionado a proposito da Dedicacao-inauguracao da Capela (remodelada em 3 meses) que toda as infraestruturas que a paroquia a edificar ou remodelar, tem um grande significado pastoral que é a aposta na edificação da Igreja-povo. Desafiou os paroquianos da localidade de Achada Moirão a apostarem no fortalecimento e no testemunho da fé  e da consciencia de que são eles a Igreja viva em construção.

Alguns dados sobre Santo António

António viveu no séc. XIII; um nobre de Lisboa de nome Fernando que deixou uma prometedora vida na Corte para se entregar totalmente à Deus primeiro como Agostiniano e depois como Franciscano. Depois da tentativa frustrada de ir pregar o Evangelho aos mouros em Marrocos, foi parar à Itália, onde viveu até a sua morte e onde exerceu a sua missão mais activa. Ganhou fama de santidade ainda em vida pela sua paixão na maneira como pregava, na sua defesa incondicional da fé católica no combate às heresias, na luta pelos mais pobres, marginalizados e oprimidos. Fez muitos milagres em vida e a sua língua permanece intacta até os nossos dias. Ele foi canonizado apenas 11 meses após a sua morte.

Ele é verdadeiramente um modelo para nós hoje principalmente em dois aspectos que muita falta faz ao nosso mundo: a paixão por Deus e o amor aos irmãos mais necessitados.

Deixe um comentario

Categories