APC no Fogo Diante de um sociedade em que os professores enfrentavam muitos problemas e crianças com dificuldades nas escolas, um grupo de professores resolveram juntar-se em associação para melhor responder aos desafios que a classe dos docentes enfrenta. Assim, em Fevereiro de 1994, nasceu a Associação de Professores Católicos com a missão de ajudar os professores na resolução dos problemas no âmbito profissional, económico, académico, religioso e social. A organização também procura dar atenção aos estudantes, ajudando-os, sobretudo a nível de aprendizagem e, também, económico. “ Muitas vezes, há pais que não podem suportar toda a despesa escolar dos filhos e sempre que pudemos damos essa contribuição”, conta Fátima Sanches, presidente da Associação dos Professores Católicos

Os membros da Associação dos Professores Católicos realizam encontros uma vez em cada mês, onde durante três horas são debatidos questões relacionadas com a sua vida profissional, social, espiritual. E para dar respostas aos problemas e desafios que os seus membros enfrentam no seu dia-a-dia, a associação promove formações em diversas áreas que vão de encontro com as necessidades dos professores. Essas formações são ministradas por profissionais de diferentes ramos desde sacerdotes e religiosos, para auxiliar na parte religiosa, como pedagogo, para ajudar tantos ao professores como os alunos no domínio da pedagogia didática (por exemplo como transmitir a mensagem educativa para os alunos), juristas para ajudar nalgumas resoluções.

Nesses vinte anos, o empenho desta organização é visto com bons olhos tanto pelos professores como pela sociedade civil. O desejo é poder fazer muito mais, no entanto, os fracos recursos financeiros condicionam os sonhos. Isto porque a APC e as suas atividades são geridas apenas com a quota mensal dos membros que é atualmente de 200 escudos e que nem sempre é paga com assiduidade. A associação conta com alguns apoios pontuais da Diocese de Santiago e do Ministério da Educação e Desporto para a realização de algumas atividades mediante projeto”.

 “Temos o apoio da Diocese de Santiago que tem, também, uma grande preocupação com os problemas que afligem a sociedade. Temos toda a abertura da Diocese em termos de facilitação de espaço para fazer encontros, alias, todos os nossos encontros são realizados no espaço da igreja. O Ministério da Educação tem uma grande consideração para com esta instituição visto que que temos estado a ajudar para que as coisas funcionem melhor quer em termos profissionais, quer em termos sociais, porque quando ajudamos o professor a ter uma maior capacidade em termos de transmissão e comunicação da mensagem e como solucionam casos de dificuldades de aprendizagem na sala de aula, estamos a ajudar o MED no seu trabalho”. missa APC

Face a dificuldades financeiras, a associação tem solicitado, diante do Ministério que tutela a educação, um subsídio fixo que lhe permita realizar seu trabalho com maior sustentabilidade, no entanto, ainda não conseguiram nenhuma resposta favorável.

Um dos desafios da Associação dos professores Católicos é chegar a todos os municípios da Diocese de Santiago. Neste momento, para além de Praia onde está a base, já tem constituído núcleos em vários concelhos faltando chegar aos municípios da Brava, do Maio, São Filipe no Fogo, São Lourenço dos Órgãos e São Salvador do Mundo, na ilha de Santiago., um desafio que deve ser alcançado em breve.

Com o ano letivo 2014 – 2015 às portas, é tempo de traçar prioridades e o plano de atividades da Associação dos Professores Católicos para os próximos tempos. O certo é que a associação, mais uma vez, vai cumprir aquilo que já é um hábito cultivado há dez anos: uma missa presidida pelo Bispo, que vai marcar o início do novo ano letivo, uma espécie de bênção para que o ano corra da melhor forma possível tanto para os professores, alunos e toda a comunidade educativa.

Deixe um comentario

Categories