“Foi o amor à Igreja e não a realização de uma aspiração pessoal que me levou a aceitar esta nova missão na Igreja”. Foram palavras de Dom Ildo na homilia da Eucaristia solene de ontem, dia 10, depois da sua tomada de posse.

A Eucaristia que durou mais de 3 horas, sob um sol ardente, foi marcada pela simplicidade, pela proximidade física e espiritual tão esperado pastor e pelas palavras de Dom Ildo que traçou de certo modo, em grandes linhas, o quadro da sua preocupação pastoral.  Advertiu, entretanto: “Eu não tenho um programa próprio. O programa é da Igreja e foi estabelecido há uns 2000 anos: Evangelizar”. Entretanto, a Igreja deve ir vendo os sinais dos tempos e tentar dar resposta aos muitos desafios que se apresentam à missão da Igreja na situação concreta. No caso de Cabo Verde, marcado pela mobilidade e outras particularidades, Dom Ildo salientou alguns aspectos que vão merecem uma particular atenção pastoral.

Apesar do sol forte, quando ainda faltava falar Dom Ildo Fortes, ele perguntou se as pessoas ainda o queriam ouvir. A assembleia gritou ‘sim’. Ele agradeceu de novo a todos, reafirmou o desejo de servir a Igreja contando com sacerdotes, os religiosos e leigos.

Homenagem a Dom Arlindo: Ao Dom Arlindo, disse com emoção: “não sei o que lhe hei-de dizer”. A assembleia reagiu rindo e ele agradeceu por todo o apoio recebido do primeiro Bispo de Mindelo que o convidou a vir trabalhar na recém criada diocese. Pela segunda vez disse que a diocese deveria encontrar uma forma de agradecer e homenagear o seu primeiro bispo.

Encontro com os padres: No fim da Missa, Dom Ildo anunciou que ia ter “já amanhã” (dia 11) um encontro com os padres da sua diocese. Afinal, passadas as maratonas à volta da ordenação, entrada solene, tomada de posse e Missa solene, o novo Bispo sentiu a urgência e a oportunidade de estar de perto com os padres para apresentar-lhes em clima de comunhão as suas ideias e, sobretudo, auscultar as aspirações dos seus primeiros e imediatos colaboradores na pastoral. Apesar do esforço dispendido pelo Administrador apostólico, Dom Arlindo, não se pôde fazer grandes decisões para além da orientação geral “a aposta na Evangelização”, ainda por ser detalhada em propostas,  métodos, subsídios e metas. Aliás, uma comissão já foi criada para o efeito.

Dom Ildo encontra caminhos abertos, mas a missão dele está apenas começando. Leigos, religiosos e sacerdotes entrevistados manifestaram a disposição de caminhar na unidade par ao bem da Igreja de Cristo na Diocese de Mindelo.

Mensagens:  Mensagens várias foram lidas no fim da Missa. O Bispo Diouf saudou o Bispo de Mindelo em nome pessoal e da conferência episcopal regional, fazendo votos de ver Dom Ildo na próxima assembleia da mesma. Foi um simples sinal da ligação com a Igreja da costa ocidental africana. Desta vez nenhum bispo português esteve presente.

 

Dom Jose Camnate, Bispo de Bissau e Pe Boaventura, vigário Judicial e pároco de Imaculada C. Da Virgem Maria (Diocese de Santiago)

Grandes linhas da missão

: Nas suas intervenções Dom Ildo deixou as linhas mestras do seu agir enquanto pastor da Igreja particular de Mindelo, em comunhão com todos, visando construir a unidade da acção pastoral da sua Diocese e do reforço da acção da Igreja em Cabo Verde. Em grandes traços, falou da evangelização encarnada na realidade social, referiu aos desafios do turismo que se enquadra no amplo fenómeno da ‘grande mobilidade de povo das ilhas’, falou da família que mecere toda a atenção pastoral, da atenção a ser dada aos jovens, ” que são o futuro da Igreja e da sociedade”. “O Bispo não faz campanhas nem traz soluções ‘na manga’ “, disse, salientando o espírito de comunhão eclesial que o move na busca de soluções para os desafios da pastoral.

Refeição para todos: O padre Lino Paulino, Pároco de Nossa Senhora da Luz, indicou os lugares onde cada grupo ou ilha deveria ir para o almoço. E soubemos que houve comida até de sobra. Um bom sinal da generosidade de muitas instituições, e da Comissão que previu também esta grande necessidade.

Agradecimento Geral da comissão Central: Antes da benção final, a Comissão Central agradeceu a ‘todo o empenho e dedicação”de grupos, pessoas, entidades, hotéis, empresas, paróquias ; todos os que desde a primeira hora colaboraram para o êxito de todas as actividades que terminavam nesse dia com a missa solene.Estamos nas mãos de Jesus Bom Pastor, “Senhor do nosso hoje e do amanhã”, disse Dom Ildo seguir a benção solene. Depois  irrompeu-se o hino a Dom Ildo e mais cânticos que continuaram por algum tempo até as pessoas se dispersarem. E a festa continuou… com o almoço-convívio.

 

Aspectos do almoço-convívio:

 

 

 

 

 

 

PZAB

Deixe um comentario

Categories