Archive for November, 2011

Notícias e informações das folhas paroquiais das duas dioceses de Cabo Verde vão dando sinais de um dinamismo crescente para a pastoral das famílias. Santiago e Mindelo colocaram a Família no centro da atenção pastoral, embora tomando em cada realidade diocesana aspectos próprios, de acordo com as necessidades e o plano estabelecido em cada lugar. A Diocese de Minde

Na paróquia de Nossa Senhora do Livramento, S. Antão, o pároco, Pe. Adriano tem vindo a realizar visita às famílias, o que ele considera «uma oportunidade simples e bonita de conhecer e estar com as famílias da paróquia. Entramos, conversamos um pouco e rezamos em todas as casas, com as pessoas. O Pároco qualificou de excelente o acolhimento das pessoas!  Está assente o « compromisso de uma presença e missa mais regular» do padre, que pede ao Espírito Santo que continue a animar e fortalecer os fieis e as famílias, especialmente de Fontainhas, que ele visitou recentemente .

“Família, torna-te aquilo que és! “ é o Lema Paroquial 2011/2012, expressão local do lema diocesano que aponta para a dimensão missionária da família cristã.

O Boletim das paróquias Nossa Sra do Livramento, de Santo António das Pombas, bem como de S. Vicente têm destacado frases célebres sobre a família, extraídas da Bíblia, de encíclicas ou outros documentos da Igreja e de autores antigos célebres. Afinal, família diz respeito a todos.

Na diocese de Santiago, tem havido iniciativas paroquias, aqui e ali. Na paróquia de Nossa Senhora da Graça realizam-se encontro de famílias nas diversas comunidades, sob a animação do secretariado paroquial da Família. Há também outras inicaitivas que visam apostar na formação dos recém casados, de modo a consolidar a formaçao anterior ao casamento

Casais da paróquia da Imaculada Conceição da Virgem Maria apostam nos mensais de Encontros de Casais, em pequenos grupos, com apresença de um sacerdote, seguindo o modelo das Equipes de Nossa Senhora. .

Na paróquia de santa Catarina, por exemplo, a Associação Jesus, Maria e José vai se apresentar no dia proximo Domingo, dia 27, para dar divulgar o espírito e a abrangência do trabalho que desenvolve. A pastoral familiar que essa associação promove procura ajudar espiritualmente todas as famílias (baseada ou não casamento). Este detalhe é muito importante no contexto cabo-verdiano onde tem vindo a diminuir o sacramento do matrimõnio. É uma forma de proporcionar a todas as as famílias a formaçáo que precisam neste tempo difícil pra a vida em família.

PZB e Folhas paroquiais

 

 

 

 Nos domingos de Advento, é de costume que as famílias e as comunidades católicas se reúnam em torno à coroa para rezar.
A forma circular: O círculo não tem princípio, nem fim. É sinal do amor de Deus que é eterno, sem princípio e nem fim, e também do nosso amor a Deus e ao próximo que nunca se deve terminar. Read the rest of this entry »

Fica aqui uma sugestão para a oração do ritual da coroa do Advento. Ela pode ser feita antes da Eucaristia  de cada um dos domingos, ou na Liturgia das horas ou em qualquer outro momento solene de oração, durante o Advento.

1º Domingo do Advento – Acende-se a  PRIMEIRA VELA

  A luz nascente nos conclama a refletir e aprofundar a proximidade do Natal,  onde Cristo, Salvador e Luz do mundo brilhará para a  humanidade. Lembra ainda o perdão concedido a Adão e Eva. A cor roxa nos recorda  nossa atitude de vigilância diante da abertura e espera do Senhor que virá.

Oração:

A luz de Cristo, que esperamos neste Advento, enxugue todas as lágrimas, acabe com todas as trevas, consolem quem está triste e encha nossos corações da  alegria de preparar sua vinda neste novo ano de graça!

 

2º Domingo do Advento – Acende-se a  SEGUNDA VELA

A segunda vela acesa nos convida ao desejo de conversão, arrependimento dos nossos pecados e também o compromisso de prepararmos, assim como São João Batista, o caminho do Senhor que virá.  Esta vela lembra ainda a fé dos patriarcas e de São João Batista, que anuncia a salvação para todos os povos.

Oração:

A luz de Cristo, que esperamos neste Advento, enxugue todas as lágrimas, acabe com todas as trevas, consolem quem está triste e encha nossos corações da  alegria de preparar sua vinda neste novo ano de graça!

 

3º Domingo do Advento – Acende-se a  TERCEIRA VELA (Rosa)

A terceira vela acesa nos convida à alegria e ao júbilo pela aproximação da chegada de Jesus.  A cor litúrgica de hoje, o rosa,  indica justamente o Domingo da Alegria, ou o Domingo Gaudette,  onde transborda nosso coração de alegria pela proximidade da chegada do Senhor. Esta vela lembra ainda a alegria celebrada pelo rei Davi e sua promessa que, agora, está se cumprindo em Maria.

Oração:

Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo vos digo: Alegrai-vos! O Senhor está perto”

 

4º Domingo do Advento – Acende-se a  QUARTA VELA

  A quarta vela marca os passos de preparação para acolher o Salvador,  nossa expectativa da chegada definitiva da Luz ao mundo. Simboliza ainda nossa fé em Jesus Cristo, que ilumina todo homem que vêm a este mundo e  também os ensinamentos dos profetas, que anunciaram a chegada do Salvador.  

Oração:

Céus, deixai cair o orvalho, nuvens, chovei o justo;  abra-se a terra, e brote o Salvador!

Liturgicamente, o tempo do Advento (do latim adventus = chegada) corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal. Neste tempo, as vestes litúrgicas devem ser de cor roxa, como sinal da nossa conversão em preparação para o Natal, com excepção do terceiro domingo, onde o rosa substitui o roxo, revelando o Domingo da Alegria (ou Domingo Gaudette).

Read the rest of this entry »

Começa hoje o Advento. Em família seria desejável um sinal que ajude nesta caminhada litúrgica e ao mesmo tempo nos recorde a VINDA GLORIOSA DO SENHOR no fim dos tempos. O Advento também nos lembra esse encontro final com o Senhor.

PREPARA UMA COROA DE ADVENTO EM SUA CASA. É SIMPLES. USE A SUA CRIATIVIDADE. AS CRIANÇAS PODEM MUITO BEM AJUDAR E SERÁ UM OCASIÂO PARA UMA CATEQUESE PARA SE COMPREENDER BEM O DO ADVENTO NA CELEBRAÇÃO DA  IGREJA E SUA IMPLICAÇÃO NA VIDA CRISTÂ.

P. Bernardo (1º Esq) no funeral do saudoso Padre Pio em 1999, igreja de St. Patrick, Boston

O Padre Bernardo Vaschetto, Capuchinho, que morreu no dia 24 (pp) em Torino, e serviu a comunidade por dezenas de anos, gostaria de ser enterrado em Boston, USA, perto de um confrade com quem trabalhou longos anos em CaboVerde e mais ainda nos EUA.

ESTE ERA O SEU grande desejo, diz com tristeza o Sr João Ribeiro Djondjon) de Scituate, que o acompanhou em 2004, quando regressava doente à Itália, depois de os Capuchinhos terem cessado o serviço a St. Patrick. «Ora ki´n morrê n ta gostaba di ser interrado perto di Nho Padri Pio, na Boston», Nho Djondjon, seu grande amigo, atesta que estas são palavras de Nho Padre Bernardo, repetidas muitas vezes em Scituate, comunidade por que ele tinha especial predilecção, o que é bem sabido em todas as comunidades. Read the rest of this entry »

Dom Arlindo pede equilíbrio social e moderação nos gastos

Dom Arlindo Furtado fala da crise financeira: alerta para o perigo de pobreza extrema de alguns, diz não ao esbanjamento e pede moderação nas festas religiosas.

O mundo inteiro vive uma situação de fragilidade financeira. A crise económica abalou o mundo e com consequências sérias para vários países, alguns dos quais são os principais parceiros de Cabo Verde, como é o caso de Portugal. A situação que se vive no mundo como não podia deixar de ser, está fazer sentir-se também em Cabo Verde. Para estarmos preparados no sentido de fazer face aos impactos da crise no país, durante duas semanas o Chefe do Governo de Cabo Verde, José Maria Neves, reuniu-se com os principias representantes das mais diversas instituições e organizações da sociedade cabo-verdiana com o objectivo de, juntos, reflectirem e dialogarem sobre a crise, seus impactos no país e as medidas a tomar para se combater os impactos em Cabo Verde.

O Bispo da Diocese de Santiago de Cabo Verde, Dom Arlindo Furtado, foi uma das personalidades que se reuniu com o Primeiro-Ministro José Maria Neves. O encontro teve lugar no passado dia 08 de Novembro do corrente ano no Palácio do Governo e serviu para falarem sobre a situação económico-financeiro e social que abrange todo o mundo e Cabo Verde.

“Houve uma troca de impressões partilha de ideias, de percepção da situação e das preocupações que advém desta situação que afecta muito as famílias cabo-verdianas e a população em geral. Falamos da situação crise e da necessidade de austeridade e de como devemos em conjunto preparar enfrentar e superar o problema. Esta pode ser ocasião de reflexão, de mudança na nossa vida, de algumas coisas para podermos prepararmo-nos melhor para o futuro”, conta D. Arlindo Furtado sobre o encontro com o Primeiro – Ministro.

A situação de fragilidade financeira que se vive no mundo inteiro, actualmente, preocupa o representante máximo da Igreja Católica na região de Sotavento de Cabo Verde. Através do site da Diocese, Dom Arlindo Furtado quis partilhar a sua preocupação sobre a crise mundial e, também aproveitou para alertar os cristãos e não só, sobre o problema e apelou à contenção nos gastos.

 “Os cristãos fazem parte do conjunto dos cidadãos deste país, naturalmente se o país tem dificuldades, todos nós ressentimos. O que se pretende é que o sacrifico exigido perante a exigência da crise, o facto de termos de enfrentar essa crise, torna necessário a austeridade. Mas o sacrifício exigido deve ser repartido por todos de forma proporcional e mais equitativa possível. Normalmente, os mais pobres é que pagam a factura mas, as coisas devem ser divididas de uma forma proporcional por todos os cidadãos. Há uma situação de penúria e nós todos devemos contribuir para a superar de uma forma mais justa possível.

Dom Arlindo abordou um segundo aspecto. « Há dimensões sociais de pessoas que já vivem na situação de fragilidades em que devem ser minimamente salvaguardadas de forma cuidadosa para que as pessoas não caiam na pobreza extrema. Há pessoas que vivem de pensão social ou tem fragilidades específicas que precisam de apoios específicos da sociedade, há que ter isso em conta», alertou o Bispo de Santiago de Cabo Verde.

Dom Arlindo aproveitou para deixar uma mensagem aos cristãos e aos cabo-verdianos em geral, nesta altura que a situação financeira, económica e social a nível global passa por uma situação de fragilidade.

“Aproveito esta ocasião para apelar a todos os cristãos e a todos os meus concidadãos de que, de facto, devemos fazer uma gestão mais correcta dos recursos que temos. Em Cabo Verde, temos uma tendência, muito fácil em ordem ao esbanjamento, isto é notório em certas ilhas mais do que noutras. Em certas ocasiões de festas gastamos mais do que o necessário e, muitas vezes, mais do que temos e isto não é correcto. Lanço um apelo aos cristãos que, por ocasião dos funerais, dos baptizados, dos casamentos, do sacramento de confirmação e, também, nas festas de finalistas e aniversários, onde se festeja exagerando nos gastos. Não precisamos gastar muito como costumamos fazer. Basta um gesto, uma atitude, uma confraternização sóbria, moderada, inteligente digna e isto é suficiente e não o esbanjamento. Acho que isto é muito importante, face a situação que se vive actualmente. Há o hábito de os cabo-verdianos gastarem em coisas que não são prioritárias. É preciso estabelecer uma hierarquia de valores e dar prioridades a certas coisas, que outras esperam por uma outra oportunidade», adverte o Bispo.

Precisamos de ser mais disciplinados mentalmente, aprender a fazer uma gestão mais inteligente dos recursos e a ter paciência para ter certas coisas numa ocasião mais favorável. Isto, eu falo como bispo e é um apelo que faço aos cristãos para sermos muito mais moderados em certos gastos, mesmos em celebrações de sacramentos da nossa fé, para sermos razoáveis e dar bons exemplos aos outros, porque os cristãos devem ser luz e sal mesmo nessas pequenas coisas”.

 

Categories